Dom Amilton Manoel da Silva, CP profere palestra sobre Espiritualidade e Mística

Na segunda palestra do IV Ciclo de palestras – Espiritualidade e Vida Acadêmica da FASBAM, que aconteceu no último dia 15, o tema abordado foi “Mística e Espiritualidade” com a participação do bispo auxiliar da Arquidiocese de Curitiba, Dom Amilton Manoel da Silva, CP, que iniciou sua partilha lembrando que na atualidade tudo é mais fácil e prático, porém cada vez somos mais “desumanos” e perdemos nossas principais características.

Além do mais, as crises das instituições e “das autoridades” tem agravado um cenário de intensa ruptura com diversos “valores” e instituições, criando novas formas de agir, pensar e “ser”. Com isso, podemos perceber que estamos vivendo, desde o ano 2000, um “novo ateísmo”, mas com espiritualidade. Isso significa que as pessoas têm buscado uma “espiritualidade”, um espiritualismo, porém sem o divino, como por exemplo, na yoga, nas meditações, entre outras práticas.

Desta maneira, temos a “equação”: mais espiritualidade (ou espiritualismo) e menos religião. As pessoas querem uma fé prática, sem comprometimento e sem comunidade, como que se existisse um deus que devesse ser como um gênio da lambada que só está ali para ouvir e atender seus pedidos. Essas novas formas de “espiritualidade” tem o “cardápio” que as pessoas desejam e vivem o seu modo de espiritualidade com o seu deus, como se fosse uma “salada mística”. Isso tudo, graças a diversos fatores como o consumismo, imediatismo e individualismo, três palavras com tanto “poder” e tão presentes na atualidade.

Com tudo, Dom Amilton levantou a seguinte questão: “As pessoas estão felizes com isso?”. Em um primeiro momento poderíamos pensar: “Sim! Claro que estão, olhem só nas redes sociais, todos estão felizes e sorrindo…”. Porém, no segundo momento, percebemos que as pessoas aparentemente estão felizes, porém, por dentro, tudo está muito confuso e cinza. Pois, sem uma vida em comunidade, sem uma doação, um sacrifício… tudo fica muito líquido e não permanece.

Por isso, posteriormente, o palestrante elencou características de uma espiritualidade mais concreta e profunda, sendo elas: a espiritualidade faz parte de um povo e de uma cultura; está ligada ao espírito da própria pessoa no mais íntimo; o espírito faz a ligação entre corpo e alma; no Batismo, o nosso espírito liga-se ao de Deus; a espiritualidade cristã é Cristocêntrica e Trinitária; (Eu – Deus – Igreja como “Mistério Pascal”). Para tudo isso, é preciso ter fé, isto é, ter uma certeza de base sem, necessariamente, sentir algo palpável. Logo, precisamos buscar isso a partir de dentro, a partir do tríptico: conhecer-se, aceitar-se e superar-se. Ou seja, primeiro lançar-se para dentro, depois ter uma experiência com Jesus e em seguida sair e testemunhar (missão). Devemos “habitar consigo mesmo”, porém, nesse nosso processo espiritual, aparecem problemas e desafios, como a correria da vida, a falta do silêncio – temos medo de nós mesmos, de ouvir nossos “monstros” -, “buscar mais fora do que dentro”, entre outros.

Já no final de sua palestra, Dom Amilton falou sobre a mística, onde fez referência a uma experiência do conhecimento de Deus (como se cada um pudesse responder a pergunta: “Quem é Deus para você?”). A mística é justamente adentrar o mistério dentro de si. E mais do que ficar pensando: “eu não sou místico e nunca serei”; devemos perceber que já temos a mística a nossa disposição: primeiramente na celebração dos mistérios da Igreja – os Santos Mistérios -, logo somos místicos quando participamos dos Sacramentos. Segundamente, temos a mística na Palavra de Deus, onde em Colossenses 1,26 está escrito: “(…) mistério que ele manteve escondido desde séculos e por inúmeras gerações e que, agora, acaba de manifestar aos seus santos”. Por fim, a terceira mística seria aquela que nós comumente chamamos de “dos místicos por excelência”, ou seja, a mística como experiência profunda na alma humana, na intimidade com Deus, “a ciência do amor”. E isso só é possível na contemplação, na união com Deus – neste matrimônio místico.

Autor: Pedro Henrique Mocelin, estudante do 2º ano do Curso de Filosofia.

No próximo dia 08 de novembro, acontece a última palestra deste ciclo. O tema será “Espiritualidade e Psicologia” e terá a assessoria do Monsenhor Matthias Jacobus Andreas Ham (Diocese de Ponta Grossa). Inscreva-se gratuitamente, clicando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *