Madre Geral das Irmãs Servas de Maria Imaculada, Sofia Lebedowicz, em visita à FASBAM

No último dia 16 de julho, a Madre Geral da Congregação das Irmãs Servas de Maria Imaculada, Ir. Sofia Lebedowicz, SMI, esteve em visita à Faculdade São Basílio Magno.

Acompanhada da Ir. Juliane Martinhuk, SMI, secretária provincial, a Madre Geral foi recebida pelo Padre Superior do Mosteiro São Basílio Magno e professor da FASBAM, Pe. Soter Schiller, OSBM.

Madre Sofia, natural da Polônia, e atualmente residente em Roma, na sede geral da congregação, esteve em visita ao Brasil e à Argentina na tradicional visita canônica, onde pode conhecer a realidade latino-americana. Na FASBAM, a religiosa conheceu a biblioteca e teve a oportunidade de apreciar as obras raras, inclusive em polonês, trazidas ao Brasil durante a imigração.

Sobre a Congregação das Irmãs Servas de Maria Imaculada: Tudo começou em maio de 1891, quando os Padres Basilianos pregavam missões na aldeia de Zhuzhel, distrito de Sokal, na Ucrânia Ocidental. Na ocasião, um grupo de jovens da paróquia dirigiu-se ao Padre Jeremias Lomnytsky, OSBM (Ordem de São Basílio Magno), manifestando-lhe o desejo de entrar para a vida religiosa. Elas pensavam em ingressar em um convento, mas não sabiam como.

Já lançado com zelo e ardor em um trabalho de evangelização, o padre sentiu que havia chegado o momento de iniciar a primeira congregação feminina de vida ativa em meio ao povo ucraniano. Para isso, pediu a colaboração do padre Cirilo Seletsky, pároco local, para que obtivesse apoio do clero e povo.

O missionário acolheu os anseios das jovens da aldeia, enchendo-as de esperança. Ele convenceu o padre Cirilo a oferecer o território de sua paróquia como sede e berço de uma nova Congregação que daria continuidade às iniciativas pastorais dos padres missionários.

Padre Jeremias também decidiu procurar a jovem Miguelina Hordashevska, que anteriormente havia lhe falado do seu interesse em fazer parte de uma ordem religiosa. O sacerdote a convidou para ser a cofundadora da nova congregação.

Entendendo o alcance do projeto e refletindo sobre as necessidades espirituais de seu povo, ela entregou-se com espírito de doação à grandiosa ação. Foi acolhida pelas Irmãs Felicianas em Jovkva, onde recebeu a primeira formação e fez uma experiência de vida religiosa ativa, preparando-se assim para a sua missão. Em 24 de maio de 1892 recebeu o hábito religioso e adotou o nome de Josafata.

Na pequena aldeia de Zhuzhel, em 27 de agosto de 1892 – Festa da Assunção de Nossa Senhora, segundo o calendário juliano -, a jovem Irmã Josafata Miguelina Hordashevska e mais sete candidatas deram início à nova Congregação. Ela e suas coirmãs foram acolhidas pela Igreja e por todos os moradores da aldeia como a nova congregação religiosa feminina voltada para o trabalho pastoral.

Sob o título de “Servas de Maria Imaculada”, as irmãs iniciavam a vivência de seu carisma nas áreas da educação, assistência aos doentes e zelo pela beleza do templo de Deus.

Fonte: https://irmasmi.com.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.