O oratório doméstico de uma família de rito bizantino

O lar da família cristã é o lugar da comunhão dos membros da família no amor de Deus e no amor mútuo. A família é a comunidade de amor, que o apóstolo Paulo frequentemente denomina de “Igreja doméstica” (v. Rm 16, 5; 1Cor 16, 19; Cl 4, 15). Nela, o esposo e a esposa, os pais e os filhos “celebram”, oficiam o serviço uns para os outros. Do lar familiar as pessoas colhem os mais importantes benefícios espirituais: o conhecimento de Deus, o respeito aos pais, ao lar paterno, à Igreja e à pátria.

Tendo em vista a vocação da família para ser Igreja doméstica, o lar em que vivem os membros da família torna-se um “templo”, consagrado para a realização dessa vocação. O “templo” doméstico é abençoado após a sua construção; é adornado com santos ícones; todos os anos recebe a bênção por ocasião da festa da Epifania. Como o templo, o lar é o lugar de oração e da vivência do sacramento do Matrimônio. Pela graça do Espírito Santo, conferida no sacramento do Matrimônio, os membros da família crescem na consciência de sua vocação, no amor a Deuse no amor mútuo e, pela comunhão de fé, alcançam a salvação.

A “Igreja doméstica” é uma pequena comunidade, unida por laços naturais e espirituais. Ela se insere na grande família de Deus, a Igreja católica-universal, que congrega numa só família cristã os que renasceram de Deus e, portanto, são irmãos e irmãs entre si. A família, como “pequena Igreja”, é a célula-base da comunidade cristã, porque lhe são peculiares os três múnus da Igreja universal: a evangelização, a oração e o testemunho de vida. Isso significa que os pais são os primeiros evangelizadores da Palavra e os primeiros educadores de seus filhos. A família é uma comunidade de oração, que se relaciona com Deus na vida cotidiana. Construindo relações interpessoais sobre o fundamento da caridade evangélica, a família é chamada a ser uma escola de solidariedade social.

Como é o oratório doméstico?

O lugar na casa onde são instalados os ícones leva o nome de “oratório doméstico”[1]. O oratório num “cantinho” da casa remete a Cristo, a “pedra angular”. Ter esse oratório em casa é testemunho de elevada consciência religiosa da família. Tradicionalmente, os ícones do oratório eram três: um de Jesus Cristo, um da Santíssima Mãe de Deus e um de São Nicolau. Jesus Cristo, o Cabeça da Igreja, é modelo para o esposo, cabeça da família; a Santíssima Mãe de Deus com o Menino Jesus nos braços é o mais perfeito modelo para a esposa-mãe e para os filhos, e São Nicolau é exemplo de misericórdia e hospitalidade.

Nos momentos mais marcantes da vida familiar, os pais abençoam os filhos com ícones: com o ícone de Cristo em seu ingresso na escola ou no exército, com o ícone da Mãe de Deus antes do casamento. Diante dos ícones, a família se reúne para a oração comum e assim cresce na piedade. No oratório são guardados os principais livros cristãos: a Sagrada Escritura, o devocionário e o catecismo.

[1] NT. Esse espaço – muito tradicional na cultura religiosa ucraniana – é chamado em ucraniano de “pokútia”, isto é, literalmente “cantinho”, dos ícones ou dos santos, e que é o lugar da oração da família.

Fonte: Cristo nossa Páscoa: Catecismo da Igreja Greco-Católica Ucraniana. Tradução: Pe. Soter Schiller, OSBM. Curitiba: Serzegraf, 2014, n. 654-658.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.