A Divina Liturgia – fundamento e ápice da vida da comunidade cristã

“Fazei isto em memória de mim, pois todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes deste cálice, anunciais a minha morte e proclamais a minha ressurreição”[1]. Em Cristo, a natureza humana participa da natureza divina (cf. 2Pd 1, 4). A todos os que acreditam nele, Cristo concede o dom da comunhão na vida divina. Esse mistério da Comunhão Cristo consumou na Última Ceia, manifestou no mistério Pascal, e o realiza no culto da Igreja, “hoje, sempre e por todos os séculos”.

O ápice da vida cultual da Igreja é a Divina Liturgia (do grego leitourgia = “obra do povo”), uma ação de Deus para os homens e dos homens para Deus. Na Divina Liturgia (ou “Serviço Divino”), o Pai nos introduz na plenitude de sua vida, dando-nos o seu Filho. O Filho, por sua vez, oferece a si mesmo como alimento na mesa da Palavra e na mesa do Corpo e Sangue, para que sejamos com ele “concorpóreos e consanguíneos”[2] e tenhamos parte na sua divindade. A Igreja, recebendo esse dom de Cristo no Espírito Santo, responde-lhe com o oferecimento de si mesma, para que eleviva e aja nela como no seu Corpo. Assim Cristo, Cabeça da Igreja, junto com a Igreja, que é seu Corpo, oferece ao Pai, no Espírito Santo, louvor e ação de graçaspela salvação realizada.

Na Divina Liturgia, que se compõe da Proscomida[3], isto é, da preparação dos dons, da Liturgia da Palavra e da Liturgia Eucarística, realiza-se o mistérioda salvação, a união entre Deus e o homem em Cristo (cf. Ef 1, 10), a “edificação do Corpo de Cristo” (Ef 4, 12). Como na Ceia Eucarística, Cristo primeiro instruiu os discípulos pela Palavra e em seguida introduziu-os no mistério do Corpo e Sangue, assim na Divina Liturgia Cristo ensina sua comunidade, alimenta-a com a sua Palavra, e daí a faz participar da Ceia Eucarística. O cristão é introduzido nesse mistériopela audição da Palavra de Deus e pela comunhão do Corpo e Sangue do Senhor.

[1]Divina Liturgia do nosso santo Padre Basílio Magno, Anáfora.

[2] Cirilo de Jerusalém: Sermões Mistagógicos, 4, 1; 4, 3.

[3] NT. “Proscomida” (do grego proskomide = “proposição”, “apresentação”; também chamada prothesis em grego), é na verdade parte da Liturgia Eucarística que, por alguma razão, foi anteposta ao início da Divina Liturgia.

Fonte: Cristo nossa Páscoa: Catecismo da Igreja Greco-Católica Ucraniana. Tradução: Pe. Soter Schiller, OSBM. Curitiba: Serzegraf, 2014, n. 343-345.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat