A Missão | A uma só voz e com um só coração com Pe. Paulo Serbai, OSBM

Dissemos o nosso Amém firme e decidido. Fomos testemunhas do Sacrifício de Cristo, vimos a verdadeira luz, recebemos o Espírito celeste… nada pode ser igual a antes! Aconteceu o encontro, a salvação entrou em nossa casa. Como Zaqueu, somos chamados a mudar. Conosco está a graça do nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus Pai e a comunhão do Espírito Santo. Já não somos os mesmos! Isto tocou os vossos lábios, as vossas iniquidades serão removidas e os vossos pecados perdoados. Somos uma nova criação, a Nova Jerusalém chamada a iluminar, iluminar, porque a Luz da Ressurreição nos plenificou de luz. Na oração sobre as oferendas o sacerdote reza ao Pai para que o Espírito de bondade, fonte da graça, seja derramado sobre nós, sobre esses dons que vos apresentamos e sobre todo o vosso povo… E na Epiclese, novamente reza: enviai o vosso Espírito Santo sobre nós e sobre os dons aqui presentes. A Divina Liturgia deve transformar-nos em Jesus Cristo, para vivermos a sua vida, com seus sentimentos, coração, unidos na missão e ação.

A nova vida, a vida divina, o amor do Espírito Santo são uma realidade presente em nossas vidas. Saímos em paz,  com uma Pessoa, o Ressuscitado. Recebemos os mistérios santos, celestes, magníficos, divinos, imortais e vivificantes! Para a remissão dos pecados, o perdão das nossas culpas, a comunhão com o Espírito Santo, para recebermos como herança o reino dos céus, para termos filial confiança em vós e não para incorrermos no vosso juízo ou condenação. Somos enviados… vamos em paz… fortes, protegidos, auxiliados pela graça, com a bênção divina, com o propósito de viver santamente, sem pecado e na paz o dia de hoje… Quão grande e comprometedor é o compromisso assumido por todos na Divina Liturgia! Isso nos assusta? Não deveria! É pela graça que devemos viver assim! Fomos capacitados, santificados, preparados, fortalecidos… É o Espírito Santo que fez morada em nós que vai agir em nós. Nós somente iremos produzir frutos para os outros.

Todos estes textos e expressões foram tiradas da Divina Liturgia. Não são invenção de quem escreve. Que missão! Existe uma liturgia após a Divina Liturgia!  Estávamos diante do Santo, recebemos o Santo, somos morada do Santo… o nosso rosto deve transfigurar o mundo, a realidade onde vivemos e trabalhamos! Precisamos reconhecer, todos nós, a nossa falta de fé naquilo que acontece diante dos nossos olhos! Vemos… mas continuamos cegos, insensíveis, surdos, paralíticos… murmuradores! Temos tudo o necessário para viver a alegria perfeita, a testemunhar Deus, a viver as realidades do reino, a lutar contra o mal, a viver como irmãos… temos Tudo! Não nos falta nada!

Os Santos Padres comparavam o fato de receber a Santa Comunhão com o acostar-se da palha seca ao fogo. Num instante a palha se estingue, torna-se cinza, queima. Mas não acontece isso conosco! O fogo da comunhão queima os nossos pecados, as iniquidades, e nos preserva. Deus respeita a nossa liberdade! Que mistério! Não é esse um verdadeiro modo de agir de Deus? Quanta paciência e espera! Deus respeita a nossa liberdade! Continuamos os mesmos! Porém, a cada participação na Santa Comunhão podemos nos tornar melhores, mais bondosos, amorosos, fieis nas coisas pequenas, vitoriosos sobre o pecado e sobre o demônio… Depende somente de nós! Viver na presença, ter uma constante lembrança de que o Senhor está conosco, que somos Templo… aos poucos vai nos transformando. As nossas fraquezas e pecados serão motivos de encontro, de glorificação, de louvor ao Senhor que está acima de tudo e de todos. Ser humildades, reconhecer o nosso nada, a nossa dependência da graça e da misericórdia… é o melhor caminho para crescermos na santidade. Deus está conosco… reconheceremos a sua presença e ação somente quando nos sentiremos pequenos, frágeis, crianças. A Divina Liturgia nos envia para transfigurar o mundo com a Luz presente em nossos corações. Não somente temos a luz, mas também a fonte da luz: Jesus Cristo Ressuscitado, Vivo e operante, continuando a Sua missão no mundo em nossas pessoas. A nossa missão é Sua também! Mesmo no nosso nada e pequenez, não existem motivos para o desânimo. Cristo já venceu o inimigo e o mundo com seus pecados e concupiscências. Nós, com Ele, seremos vitoriosos! Mesmo se o inimigo cante vitória. Esta é aparente. Após a cruz e o sofrimento, sempre vem a alegria da Ressurreição.

Pe. Paulo Serbai, OSBM
Mestre em Ciências Eclesiásticas Orientais

Lorem ipsum..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat