O significado dos elementos do ícone da Ressurreição de Nosso Senhor

E, se Cristo não ressuscitou, vazia é a nossa pregação,
vazia também é a vossa fé.
(São Paulo Apóstolo)
No centro da fé cristã está Jesus Cristo e Sua ressurreição dentre os mortos. Como tal, o ícone da ressurreição é o mais célebre, o mais comum, o mais querido, o mais instrutivo.
É tudo isso porque o ícone da ressurreição não se contenta em simplesmente nos mostrar o Cristo ressuscitado, ou a tumba vazia; a vitória mostrada no ícone da ressurreição está completa.
Cristo ressuscitou dos mortos,
com a sua morte venceu o poder da morte,
e aos que jaziam nos sepulcros Ele deu a vida!
(Tropário Pascal)
Jesus Cristo não se contentou em deitar na tumba por três dias após Sua crucificação. Em vez disso, Cristo desceu ao Hades não para sofrer, mas para lutar e libertar as almas presas ali. Assim como trazer uma luz para as trevas faz com que as trevas desapareçam, a Fonte de toda a Vida que desce para a morada dos mortos resultou na vitória de Jesus sobre a morte, e não na vitória da morte sobre Jesus. Esta é a realidade completa do que a morte e ressurreição de Cristo realizou.
No ícone, Jesus Cristo está vitorioso no centro. Vestido de branco celestial, Ele está cercado por uma mandorla de luz cravejada de estrelas, representando a Glória de Deus. Cristo é mostrado dramaticamente puxando Adão, o primeiro homem, da tumba. Eva está à esquerda de Cristo, mãos estendidas em súplica, também esperando Jesus agir. Essa humilde rendição a Jesus é tudo o que Adão e Eva precisam fazer, e tudo o que eles são capazes de fazer. Cristo faz o resto, e é por isso que Ele está puxando Adão da tumba pelo pulso, e não pela mão.
Ao redor de Cristo vitorioso estão João Batista e o Velho Testamento Justo (Abel é mostrado como o jovem pastor). Aqueles que antecederam a crucificação de Cristo desceram ao Hades, onde esperaram pacientemente a vinda de seu Messias. Agora eles são libertados deste submundo e se misturam livremente com Cristo e Seus anjos.
E o que dizer deste submundo, Hades? É mostrado na réplica da descida de Cristo em seu coração – em completo caos.
Esse evento, conhecido como o horror de Hades, foi ensinado desde o início da Igreja. São Melito de Sardes (morto em 180) na Homilia da Paixão; Tertuliano em Um Tratado sobre a Alma, 55 anos, Hipólito em Tratado sobre Cristo e Anticristo, Orígenes em Contra Celso, 2,43 e, mais tarde, Santo Ambrósio (falecido em 397), todos escreveram sobre o horror do inferno.
No ícone, Cristo é mostrado com o instrumento de Sua morte mergulhado profundamente no Hades. Sob os pés de Cristo – que ainda carregam as marcas de Sua crucificação -, estavam os portões de Hades, esmagados. Muitas vezes eles são mostrados em forma de cruz. Portanto, assim como os hinos proclamam, o ícone também: Cristo, com a Sua morte, venceu o poder da morte.
Dentro do submundo escuro estão espalhadas correntes e cadeados quebrados; e bem no fundo está o Hades personificado, prostrado e amarrado. Hades não é destruído – ainda está lá – mas seu poder de unir as pessoas se foi. Não há correntes, nem portas trancadas. Se ao menos levantarmos as mãos em súplica a Jesus Cristo, Ele está lá para nos levantar da sepultura.
Mesmo tendo descido ao sepulcro, vós, ó imortal,
destruístes o poder do inferno e ressuscitastes vencedor, ó Cristo-Deus!
Saudastes as mulheres que trouxeram mirra, dizendo: Alegai-vos! Aos Vossos Apóstolos destes a paz e aos prostrados concedestes a ressurreição.
(Contáquio Pascal) 

One thought on “O significado dos elementos do ícone da Ressurreição de Nosso Senhor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat