Ir. Ariane Andruchechen, OSBM doa exemplar de sua pesquisa sobre o Holodomor à FASBAM

Recordando a memória de milhões de vítimas da grande fome ocasionada pelo regime comunista da União Soviética que assolou a Ucrânia durante os anos 1932 e 1933, a pesquisadora Ir. Ariane Andruchechen, OSBM doou um exemplar da sua dissertação de mestrado em teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), intitulada: Holodomor – Genocídio Ucraniano 1932-1933: violência, sofrimento humano e religiosidade, à Biblioteca da FASBAM.

Segundo a autora, a pesquisa buscou refletir sobre os aspectos da violência, sofrimento e religiosidade imbuídos no Holodomor 1932-1933, a grande fome na Ucrânia. Ela se propôs a realizar a revisão teórica sobre a temática, averiguando o que foi o Holodomor e a sua menção nos documentos da Igreja Católica, descrevendo, a partir da literatura disponível, o significado desta tragédia para o povo ucraniano em perspectiva teológica.

O século XX, além do genocídio dos judeus, traz consigo outras barbáries na história, como a fome imposta pelo governo soviético aos camponeses ucranianos, mediante a privação e o confisco de alimentos, resultando em milhares de mortos. Como a religiosidade e a cultura são muito presentes na vivência deste povo, a resistência dos ucranianos ainda foi marcada por perseguições à fé, sendo permitida apenas uma Igreja do Silêncio. Quando o Vaticano começou a receber notícias sobre a fome na União Soviética que afetava significativamente a Ucrânia, a Igreja mediante o noticiário e pronunciamentos procurou denunciar esta fome a comunidade internacional.

A falta de conhecimento traz um vácuo sobre as causas das feridas da humanidade na formação da consciência política e social do povo. Desconhecer os motivos e as consequências da implementação de ideais permite que violências assim se repitam ou se perpetuem como necessárias para o progresso da humanidade. O dogma da Encarnação reclama esta missão. A teologia reflete na contemporaneidade as tragédias humanas na procura de escutar a voz das vítimas uma aproximação verídica da verdade em vista do rompimento dessas situações de pecado. A tragédia do Holodomor é ainda uma ferida viva e constitui um sinal que clama um novo modo de agir na busca de uma responsabilidade verdadeira, diante das utopias e futuro do mundo, enquanto família humana.

“A doação realizada pela Ir. Ariane à nossa Biblioteca contribui ainda mais para o nosso acervo que já conta com inúmeras obras sobre o Holodomor que foram adquiridas e também recebidas de entidades e pessoas generosas, como o Sr. Rostyslav Tronenko, Embaixador da Ucrânia no Brasil, a Universidade de Alberta, do Canadá, por meio do HREC – Holodomor Research and Education Consortium, a Representação Central da Ucrânia no Brasil e tantas outras”, destacou o Prof. Dr. Ir. Irineu Letenski, OSBM, diretor geral da FASBAM.

Sobre a pesquisadora: Ir. Ariane Andruchechen, OSBM é religiosa consagrada da Ordem de São Basílio Magno, mestra em teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e professora visitante para os cursos de pós-graduação da FASBAM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat