Professores, luz no vazio das mentes…

por Thiago Onofre Maia

Professores, no seu dia,
Recebem votos e flores,
Mas muitos sem alegria,
Com pesar e dissabores.
Às vezes, ficam sozinhos,
Sem desfrutar do carinho
Que sua profissão tem:
São eles, frequentemente,
Luz no vazio da mente,
Na estrada que vai além.

Levados pela certeza
De acreditar no futuro,
Ensinam toda a beleza
Que ilumina o escuro.
Tiram da ignorância,
Dão a todos importância,
Quando a meta é ensinar…
Os seus caminhos são certos,
Embora existam desertos
Que precisem desbravar.

Domam juízos bravios
Em que a educação,
Já sofreu graves desvios
E está baixa como o chão.
Escutam palavreados,
Por vezes, tão mal pensados
Cujo fim é ofender…
Os professores, porém,
Só pelo amor que têm
Seguem sem esmorecer.

Ó profissão tão antiga!
Ó nobreza de valor…
Crê, pesquisa e investiga,
Põe fé no seu esplendor.
É sol que à treva extermina,
Como uma aurora divina
Rompendo a escuridão…
Quem contra ela investe,
Tem como castigo a peste
Que neutraliza a razão.

Com professores o mundo
É certamente melhor,
Do humano o mais profundo
Eles conhecem de cor…
Sabem da humanidade
A sua necessidade
E passo a passo edificam…
Professores, suas vidas
Corajosas e aguerridas
Por si só se justificam…

Parabéns todos os dias,
À luta vão sem temer,
Mesmo que as agonias
Impeçam-lhes de viver
Com mais prazer na ação,
Levando a educação
Com a força da esperança.
Professor, lição de vida,
Salve profissão querida:
Sigam com perseverança!

Onde eu chegar vou dizer:
“Professor, muito obrigado,
Se bem eu posso viver
É porque fui ensinado…”
Toda lição vale a pena
Se a gente não se apequena
E se deixa conduzir
Por quem, de fato, ensina
Como uma missão divina
Mostrando-nos ir e vir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat