Por que se canta o Tropário dos Santos Mártires no Rito do Matrimônio?

“Santos mártires que padecestes pacientemente e fostes coroados. Rogai ao Senhor pela salvação das nossas almas.”

«Ἅγιοι Μάρτυρες, οἱ καλῶς ἀθλήσαντες καὶ στεφανωθέντες, πρεσβεύσατε πρὸς Κύριον, ἐλεηθῆναι τὰς ψυχὰς ἡµῶν»

O Serviço do Matrimônio Oriental faz muitas referências aos Santos Mártires. A oração central da coroação estabelece como Deus “ordenou o casamento físico” entre um homem e uma mulher, pede que Deus abençoe e lembre-se do casal recém-casado da mesma maneira que Deus abençoou os casais do Antigo Testamento, como Abraão e Sara, Isaac e Rebeca e assim por diante. Depois de atravessar o Antigo Testamento, é feita uma menção especial aos Quarenta Mártires de Sebaste: “lembre-se deles, Senhor nosso Deus, como lembrastes dos seus quarenta santos mártires e enviastes sobre eles coroas do céu”.

De fato, o tema das coroas é um tema importante do serviço. O hino da cerimônia de coroação real pede a Deus que “os coroe com glória e honra”.

Por que tanta ênfase na realeza? A Igreja Oriental faz isso para fazer um casal se sentir especial no dia do casamento? Pois bem, trata-se de um significado muito mais profundo.

O mistério do casamento é um chamado para que marido e mulher se sacrifiquem um ao outro em Cristo. No corpo e no espírito. E, para que não se pense que isso é apenas uma metáfora espiritual, um mero símbolo, a oração real da coroação bane qualquer pensamento: “coroá-los em uma só carne”.

Ao testemunhar um ao outro, esse sentimento de sacrifício abnegado é um ato psicossomático, tanto do corpo quanto da alma. É por isso que a memória dos mártires está tão arraigada no desenvolver do Serviço do Matrimônio. Até a oração de despedida do serviço menciona o Grande Mártir Procópio.

Os mártires não se limitavam a criticar sua crença em Cristo. Para eles, não se tratava apenas de pensamentos, ou de palavras facilmente cindidas. Eles colocavam seus corpos em risco por sua fé, suas próprias vidas. E, ao fazê-lo, foram recompensados ​​com ‘coroas dos céus’, como nos lembra o hino da procissão do matrimônio.

Como Paul Evdokimov explica tão apropriadamente em seu livro sobre o casamento, O Mistério do Amor (Mistério é utilizado para significar Sacramento no Oriente), “o amor perfeito é o amor crucificado. É por isso que as coroas se referem à coroa de espinhos do Senhor, a única que pode dar sentido a todos os outros. Durante toda a vida, os cônjuges ouvirão ecos fortes ou obscuros do Tropário dos Santos Mártires”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *