Um ícone da Santíssima Mãe de Deus grávida

Um ícone mostrando a Mãe de Deus expectante foi descoberto durante a restauração de afrescos do século 14 em um convento em v. Dirbi, Geórgia, no final dos anos 90 ou início dos anos 2000.
 
 
Esta imagem, como o ícone da Profecia de Simeão, faz alusão à passagem do Evangelho, onde o Justo José, o noivo, que foi renovado com a tarefa de manter a castidade da mais pura Virgem, percebeu que ela estava a espera de um bebê.
 
O homem justo ficou envergonhado e planejou deixá-la ir em segredo para evitar que os judeus a apedrejassem até a morte como uma mulher promíscua, de acordo com seu costume. Nesse ponto, foi assegurado por um Anjo que sua concepção era casta e misteriosa. Então José, seu marido, sendo um homem justo e não desejando torná-la um exemplo público, teve o cuidado de deixá-la em segredo. Mas enquanto pensava nestas coisas, eis que o anjo do Senhor lhe apareceu em sonho, dizendo: Joséfilho de Davinão temas receber Maria por esposa, pois o que nela foi concebido vem do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus.
 
O ícone retrata a Santíssima Mãe de Deus com a mão direita levantada para a cabeça e enxugando as lágrimas, e a mão esquerda apontando para José que ela não conhecia homem algum, ou seja, que ela era virgem. Este ícone tornou-se amplamente conhecido e reverenciado em toda a Geórgia no início dos anos 2000.
 
Pessoas que não podem ter filhos, por alguma razão, rezam diante do ícone. Além disso, as mulheres grávidas e as mães pedem à Mãe de Deus que as ajude a criar seus filhos com piedade e a garantir-lhes bem-estar futuro.
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *