A explicação do ícone da Santíssima Mãe de Deus das Três Mãos

Em um primeiro momento, o ícone acima pode parecer um ícone normal da Santíssima Mãe de Deus, mas ao olharmos melhor, percebemos que existem três mãos.  É por isso que nós preparamos este artigo aqui em nosso blog de Teologia Oriental. 

A resposta para a presença de Maria com três mãos é muito simples. Os pintores entenderam e interpretaram erroneamente o ícone grego original, no qual grandes números de cópias pintadas à mão eram baseados. Embora seja verdade que o ícone original tinha três mãos, apenas duas delas tinham a intenção de ser as mãos de Maria. Isso é algo que o processo de copiar o ícone repetidamente mudou, assim como a cópia repetida dos textos em hebraico e grego da Bíblia resultou em um grande número de mudanças e variações nas leituras.

Mas como surgiu o ícone original no qual esse grande número de cópias peculiares foi baseado? Bem, tudo o que temos é a história da origem tradicional. Esse conto é tão estranho quanto o própria ícone, e para examiná-lo mais de perto, precisamos apenas olhar para outro ícone – este no final do século XIX – que descreve a “história de origem” do ícone da Mãe de Deus.

Nós vemos, ao fundo, o ícone “original” de Maria que deu origem a esta lenda. Diz-se que João Damasceno, era o principal defensor da veneração de ícones na Igreja contra os opositores – os iconoclastas – que estava a serviço de um poderoso califa. O imperador bizantino Leão – um opositor da veneração de ícones – supostamente tinha cartas forjadas na caligrafia de João, incitando Leo a atacar o califa. Estas foram disponibilizadas ao califa, que ao ver as falsificações, acreditava que elas eram genuínas. Ele decidiu punir João por sua suposta deslealdade, ordenando que sua mão fosse cortada como punição. Neste ícone bastante sangrento, vemos João Damasceno, com a mão decepada no chão, e o sangue fluindo livremente, rezando diante de um ícone de Maria.

De acordo com o conto, por causa de suas orações diante do ícone, Maria curou João reencontrando miraculosamente a mão decepada. Em gratidão por esse milagre, uma imagem prateada da mão decepada foi afixada no próprio ícone. Se você olhar de perto, verá que esse ícone da “história da origem” condensou a história para que vejamos não apenas João com sua mão decepada, mas também a mão prateada já presa à imagem (o que realmente aconteceu depois). Os ícones frequentemente demonstram dois ou mais eventos juntos na mesma imagem, ignorando a cronologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *