Algumas coisas que você precisa saber quando está em uma Igreja Oriental

Nas Igrejas Orientais, há muitos costumes e tradições que são partes importantes para adorarmos a Deus. Alguns são culturais outros são costumes piedosos. Alguns são essenciais, outros não são. De tempos em tempos, precisamos abordar algumas dessas várias questões, digamos que de etiqueta, para informar nossas comunidades sobre como podemos nos entender melhor e trabalhar juntos para adorar a Santíssima Trindade.

Em pé ou sentado?

A postura tradicional de oração e adoração nas Igrejas Orientais é ficar em pé. Nos países onde a tradição oriental é predominante, geralmente não há bancos nas igrejas. Cadeiras ou bancos nas paredes laterais são geralmente reservados para os idosos e enfermos. Aqui na América, tendemos a construir nossas igrejas com bancos e, como os temos, precisamos descobrir quando podemos nos sentar e quando devemos ficar em pé. Quando você definitivamente deve ficar em pé? Durante a leitura do Santo Evangelho, nas Pequenas e Grandes Entradas, sempre que o sacerdote der uma bênção. Em alguns casos, até mesmo na Anáfora e na distribuição da Sagrada Comunhão. Todavia, isso depende da prática local. Em muitas paróquias, os livros da Divina Liturgia no banco da igreja sugerem momentos em que sentar é aceitável. Siga essas instruções. Em caso de dúvida, fique em pé. Nunca é errado estar na igreja. O importante é que haja humildade de coração e que se acompanhe o costume local.

Velas

Em algumas igrejas é costume acender velas como intenções próximo ao tetrápode – aquela mesa com o ícone e a cruz que fica próximo ao centro da igreja. Os orientais normalmente acendem velas quando entram na igreja – e essa é geralmente a melhor hora para acendê-las, mas há momentos em que as velas não devem ser acesas. Não é apropriado acender velas durante a leitura da Epístola ou do Evangelho, durante as Pequenas ou Grandes Entradas, o sermão e, na maioria das vezes, quando os fiéis estão em pé. Se você chegar à igreja depois que a Liturgia tiver começado, uma boa regra para lembrar é – se todos estiverem de pé, espere até que estejam sentados para acender uma vela (a menos que estejam sentados para o sermão, é claro).

Chegando atrasado

A hora de chegar à igreja é antes do início do serviço litúrgico, mas por alguma razão desconhecida, tornou-se costume – ou melhor, mau hábito – para alguns chegarem tarde à igreja. Se você chegar após o início da Divina Liturgia, tente entrar na igreja em silêncio – e observe o que está acontecendo. Se a Epístola ou o Evangelho estiver sendo lido ou a Grande ou Pequena Entrada estiver ocorrendo, espere até que esteja terminado para encontrar rapidamente um assento. Se o sacerdote está dando o sermão, fique no fundo até que ele tenha concluído. Tente não interromper a Liturgia com a sua entrada. A propósito, a melhor maneira de evitar este problema é chegar a tempo – então você não precisa se perguntar se não há problema em entrar ou não.

Cruzar as pernas

Em algumas culturas orientais, cruzar as pernas é um tabu e considerado muito desrespeitoso. Em nossa cultura, embora não haja tabus reais a respeito do cruzamento das pernas, tendemos a cruzar as pernas para ficarmos confortáveis ​​enquanto estamos sentados. Deveríamos cruzar nossas pernas na igreja? Não. Não é porque é “errado” cruzar as pernas, mas sim porque é casual demais para estar na igreja. Basta pensar sobre isso, quando você está em sua cadeira favorita em casa, você se inclina para trás, cruza as pernas e, em seguida, sua mente pode vagar em qualquer lugar que queira. Lembre-se de que sentar na igreja é uma concessão, não o caminho normativo da oração. Você certamente não quer ficar muito relaxado e deixar sua mente se afastar demais. De fato, quando você se senta na igreja, deve sentar-se atentamente – e não muito confortavelmente. Quando estiver sentado na igreja, mantenha os pés no chão, prontos para ficar em posição de atenção. Cruze as mãos em sentido de oração – mas não cruze as pernas! 

Sair antes da despedida final

Deixar a igreja antes da despedida final – além de ser rude – nos priva de uma bênção. A adoração tem um começo (“Bendito é o Reino …”) e um fim (“Vamos em paz …”). Sair imediatamente após a Comunhão é tratar a igreja como um restaurante de fast-food, onde nós entramos e saímos como quisermos. Vivemos em um mundo acelerado, onde parece que estamos correndo de um lugar para outro. Mas na presença de Deus, precisamos fazer todos os esforços para combater essa pressão para passar para a próxima coisa na agenda do dia. Nós nos privamos de bênçãos por não ficarmos quietos e participando da santidade de Deus.

Batom

Alguma vez você já olhou para um ícone no tetrápode contra a luz e viu os lábios estampados nele? O batom pode ficar bem nos lábios, mas não combina com os ícones, cruzes, na colher da comunhão, onde é utilizada, e na mão do padre ou do bispo. Se você insistir em usar batom na igreja, passe suavemente, ou melhor ainda, espere até depois da igreja para passá-lo. Afinal de contas, o que importa é como você esta atraente internamente com boas obras e piedade. 

Venerando ícones

Quando você entra na igreja, é tradicional venerar os ícones. Geralmente há ícones no tetrápode, em frente as portas reais da iconóstase. Ao venerar (beijar) e ícone, preste atenção onde você beija. Não é adequado beijar um ícone no rosto. Você não iria subir e beijar o Senhor ou a mãe dele nos lábios, iria? Você beijaria a mão dele. Quando você se aproximar de um ícone para venerá-lo, beije o evangelho, a mão, a cruz ou beije o pé da pessoa representada. Ao venerar e ao ícone, mostre respeito adequado à pessoa representada – o mesmo respeito que você mostraria à pessoa ao venerá-la em um local apropriado.

Conversando dentro da igreja

Não é ótimo ir à igreja e ver amigos e familiares? Mas espere até a hora do café para conversar com eles. Não é apropriado conversar com elas durante os serviços litúrgicos. Além de ser desrespeitoso em relação a Deus, é rude com as outras pessoas da igreja que estão tentando adorar. Fale com Deus enquanto estiver na igreja através de suas orações, hinos e agradecimentos, e com seus amigos depois. 

Vestes

Lembre-se da época em que as pessoas colocavam a “melhor roupa” para ir à igreja? Na verdade, as roupas costumavam ser chamadas de roupas de domingo. Em alguns locais, isso não é comum hoje em dia. De fato, muitas vezes, vestir-se na igreja tornou-se casual demais. Em toda nossa vida, devemos oferecer a Cristo o melhor de nós. E o mesmo acontece com a nossa roupa. Devemos oferecer a Cristo nossa “melhor roupa de domingo”, não nosso desgaste comum ou cotidiano, e devemos nos vestir modestamente, não de uma maneira chamativa que traria a atenção para nós mesmos. Nossa vestimenta deve sempre se tornar cristã – especialmente na igreja. 

Fazer o Sinal da Cruz ou não?

Qualquer pessoa que tenha olhado em volta durante uma Divina Liturgia notará que pessoas diferentes se persignam (fazem o Sinal da Cruz) em momentos diferentes. Até certo ponto, quando se persignar é segundo a piedade pessoal e não uma questão de dogma. Mas há momentos em que é mais apropriado persignar-se e outros não. Aqui está uma breve lista de quando persignar-se ou não:

  • Sim: Quando você ouve uma das variações da frase “Pai, Filho e Espírito Santo”; no começo e no fim do serviço litúrgico ou suas orações particulares; entrar ou sair da igreja, ou quando passar em frente ao Santo Altar; antes de venerar o ícone, a cruz ou o Santo Evangelho.
  • Não: No cálice antes ou depois de tomar a Comunhão (você pode bater no cálice com a mão); quando receber uma bênção de um bispo ou de um padre (beijar a mão direita do bispo ou padre é apropriado, mas não fazer o sinal da cruz). 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *