Dom Celso Antônio Marchiori abre o IV Ciclo de Palestras – Espiritualidade e Vida Acadêmica

Na última quinta-feira (27), Dom Celso Antônio Marchiori, bispo da Diocese de São José dos Pinhais (PR), abriu o IV Ciclo de Palestras – Espiritualidade e Vida Acadêmica na FASBAM, com o tema: Espiritualidade e Formação Acadêmica.

Quando iniciou sua fala, Dom Celso, de maneira simples e expontânea, retratou parte de sua experiência acadêmica durante o curso da Filosofia e a importância de ter cultivado a espiritualidade. Segundo ele, a Filosofia auxilia para que fiquemos com aquilo que é essencial e verdadeiro, pois estudar Filosofia tem o objetivo de buscar a verdade pura. Ele acrescentou que, mesmo com medo e um certo preconceito, buscou sempre a verdade através do estudo filosófico e que mesmo após um pouco mais de 30 anos da conclusão do curso, não se sente filósofo, mas ainda um estudante de Filosofia que continua no caminho da busca da verdade.

À luz da Sagrada Escritura, destacou o capítulo 1 do Livro do Eclesiástico, em que “toda a sabedoria vem do Senhor Deus, ela sempre esteve com ele. Ela existe antes de todos os séculos.”, pois foi a partir deste versículo e dos versículos seguintes que ele realizava sua leitura orante da Palavra de Deus durante o seu tempo de formação. Isto lhe proporcionava uma experiência com Deus que só era possível, também, por meio dos estudos filosóficos.

Dom Celso acentuou o papel de Maria, a Mãe de Deus, na espiritualidade durante a formação para que não seja possível o estudante experimentar um vazio, mas sim, um crescimento diário que produz mudança e renovação e que dá força para viver como quando aconteceu com ela e com os Apóstolos no Cenáculo, para ser possível continuar a missão de Cristo. 

Por fim, Dom Celso assegurou que a espiritualidade faz parte da essência humana, isto é, o homem é também um ser espiritual e negar isso, torna-o um ser incompleto e infeliz. É a espiritualidade que conduz o ser humano na prática do bem. É a através da espiritualidade que o ser humano descobre a si mesmo e a sua razão de viver. Por isso, é necessário o exercício constante da espiritualidade mais profunda que nos auxilia a superar as tentações e dificuldades do dia a dia. Praticar uma espiritualidade na vida toda e inclusive durante o tempo acadêmico, favorece-nos uma identificação com Jesus e, consequentemente, de discípulos missionários que nos leva ao encontro dos outros, especialmente, daqueles que mais precisam de nós.

A próxima palestra do ciclo acontecerá no dia 15 de outubro e será com Dom Amilton Manoel da Silva, CP, bispo auxiliar da Arquidiocese de Curitiba. Clique aqui e faça já a sua inscrição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *