É possível provar a existência de Deus?

Os argumentos das cinco vias que demonstram a existência de Deus, os quais foram elaborados por Santo Tomás de Aquino, não tinham a intenção de provar que Deus existe, pois, segundo ele, isto é impossível, por se tratar de um artigo de fé. Porém, é possível demonstrar de modo a posteriori que Deus existe, ou seja, através das coisas empíricas e sensíveis, fazendo uma retomada à metafísica de Aristóteles, contudo, aplicando novos conceitos num sentido cristão. Vale ressaltar aqui, que Tomás não concordava com o argumento de Santo Anselmo, que ao contrário do Doutor Angélico, afirmava que podia-se provar a existência de Deus de modo a priori. Sendo assim, Tomás nos mostra que empiricamente é possível demonstrar que Deus existe.

A primeira via que leva à demonstração da existência de Deus, baseia-se no movimento ou motor primário, ou seja, no mundo todas as coisas estão em constante movimento, transformação, isto é perceptivo a todos, sendo assim, há algo que move todas as coisas, não tem como alguma coisa mover-se por sim mesma. Portanto, para Tomás há um ser movente que não é movido, mas que através dele se iniciou todo o movimento, e este ser movente, só pode ser Ato em relação a todos os potenciais existentes, assim sendo, este movimento em Ato primo é Deus.

A segunda via é conhecida como a causa eficiente, isto é, no mundo todas as coisas são causadas por algo, por exemplo, um livro que está com uma página rasgada foi causado por um agente, não tem como o livro ser causa de si própria, se auto destruir. Sendo assim, se retrocedermos todas as causas ao infinito chegaremos há um ser que não é causado, de onde tudo se iniciou, que é causa eficiente de todas as coisas, e, esta causa primária é Deus.

A terceira via é sustentada pelo argumento do necessário e do contingente. No mundo existem coisas contingentes, que podem ou não existir, ou seja, não é necessário que aconteça ou exista. Mas para que tais coisas contingentes existam, é necessário a existência de um Ser necessário, na qual tudo emana, que no caso não é contingente. Sendo assim, todas as coisas são contingentes, por exemplo: somos contingentes em relação aos nossos pais, poderíamos existir ou não, assim também, nossos pais são contingentes em relação aos nossos avós, e assim por diante, até chegar num ser que não é contingente, que não necessitou de ninguém para existir, e este único ser necessário é Deus.

A quarta via é caracterizada pelo grau de perfeição nas coisas existentes, esta via é de índole platônica, pois, Tomás, argumenta que há uma hierarquia de perfeição nas coisas do mundo, sendo assim, nós, seres inferiores temos um referencial de perfeição em um ser que possui todos os atributos, virtudes e perfeições, na qual é Deus.

Por fim, a quinta via é sustenta pelo argumento do fim último, ou seja, no mundo todas as coisas têm uma finalidade própria, sendo assim, há um ser que ordena todas as coisas, que governa, caso contrário, o mundo seria um caos, e este ser é Deus.

Portanto, as cinco vias que levam à demonstração da existência de Deus não tem a finalidade de provar a existência de Deus, nem mesmo “dogmatizar” tal argumento, pois, Tomás como um grande teólogo e filósofo, elabora as cinco vias no campo filosófico com o objetivo de demonstrar racionalmente que Deus existe, sendo assim, não é um dogma da religião, porém, os argumentos das cinco vias podem ser convincentes até mesmo para um não crente, embora seja questionado por muitos filósofos atualmente.

Autor: Bruno Rafael Ferreira Prestes, estudante do 2º ano do Curso de Filosofia.

14 thoughts on “É possível provar a existência de Deus?

  1. Gecélia Oliveira Amado says:

    O meu questionamento em relação ao tema. E se ele existe eu creio pois tenho a presença de seu espirito immaterial. Mas uma pergunta sem resposta porque alguns sobre mortes tão violentas como se não tivesse quem os assistam. Porque ele permitiu a tortura e morte cruel sofrida por muitos. E muitos deles totalmente indefesos de forma cruel e sangrenta porque usar esta via com os mais frágeis? Muitas mortes devido seu acontecimento poem em causa sua existência. Inclusive foi este ato a forma que usou quando enviou o seu filho. Mas e os outros para que serve tamanha crueldade não justifica um Deus amoroso continuar permitindo este ato.

    • Ana Érika Ferreira Rocha says:

      Oi, Gecélia. Espero que essa resposta possa te entender a compreender.
      Deus é onipotente, isso é um fato, mas Deus em sua imensa bondade nós dá o livre arbítrio, isso para que possamos escolher segundo a nossa percepção o que é bom ou ruim para nós e para que possamos formar nossos valores éticos. Alguns usam seu livre arbítrio para o bem, já outros utilizam para o mal. Por isso o motivo de existir tanta fome, guerras, assassinatos e etc…
      Deus respeita o livre arbítrio que ele mesmo nós deu, e além disse, Deus não resolve todas as coisas do mundo por não ser capaz, ou ser egoísta, mas sim para que nós possamos fazer parte de sua obra e ajudar a diminuir ou eliminar todas estas coisas.
      Almas inocentes são perdidas, assim como aconteceu com Jesus, e me conforta saber que Deus é perfeito em tudo que faz e que sempre tem um propósito para tudo!

    • Viviane says:

      Se me permite, gostaria de tentar argumentar e esclarecer a sua dúvida em relação a existência de Deus e o porquê ele não proteja e alivia a humanidade do sofrimento, sejam ele quais for, violência, fome, misérias e morte. Pois bem, a mente humana não será capaz de obter uma resposta, de entender os planos e as intenções de Deus, somos limitados pela carne, e a nossa visão é puramente carnal, Deus não nos criou como fantoches, brinquedos, ele nos criou como filhos, pensantes, com capacidades e com a liberdade de podermos pensar e escolher! Isso já poderia ser o suficiente para responder a sua pergunta, temos a liberdade de fazermos, de sermos, de escolhermos o que quer que seja diante o tempo de vida que foi nos dado aqui na terra. Ele é tão correto quanto ao equilíbrio e a harmonia da existência de vida na terra e no universo, é tudo tão imensamente perfeito. A opção de escolher o caminho dele, o amor, será individual e ele nos deu o tempo de vida ou de morte, para que possamos compreender a magia dele através da fé, ele n quer o amor, ou a escolha de seguir ao teu reino por interesses, se tivéssemos a certeza absoluta e palpável da existência de Deus, faríamos o certo para alcançar os propositos de Deus. Deus é um mistério, profundo, profundo e bem profundo! É só pela fé, antes da luz a escuridão já está instalada, Deus está trabalhando no nosso espírito através da limitação da carne. Ele sabe que somos instantes, portanto sabe que nenhum sofrimento é eterno. Tão pouco da valor a matéria e a Morte.

    • JOAO PAULO RODRIGUES DOS SANTOS says:

      Boa noite Gecélia, então respondendo a sua pergunta, tem tudo haver com o fim dos tempos, Deus falou que isso prescisa acontecer pra servir de sinal, que é dos sinais que ele falou que o amor de muitos esfriarão, e isso tá acontecendo, infelizmente mais Deus ele é justo, Todo joelho se dobrará a ele naquele dia e confessarao, a nossa morada não é Aqui , mais sim na Cidade Celestial, então permaneça firme prq vai valer a pena 🙌 Deus te abençoe, bjs

  2. Luis Carlos says:

    Não se faz Omeletes sem quebrar-se a casca … nosso corpo é a casca nós somos a essência dentro da casca,muitos dão muita importância a casca e por este motivo a essência estraga…..

  3. romeu says:

    é engraçado que pra tudo existir precisa -se de um criador, como a construção de um avião, prédio, computadores ou qualquer coisa que seja, mas o universo não, o planeta terra não, isso veio do caos de uma explosão.
    como algo tão perfeito pode ser criado do caos? Por que isso não ocorre hoje, quer construir um prédio? coloque o cimento, o ferro, agua e simplesmente exploda e vamos ver no que vai dar.
    não consigo imaginar nossa existência sem um grande criador por trás de tudo, um grande arquiteto, engenheiro e todos adjetivos a esse ser supremo. não sou um filosofo e nem cientista mas ao raciocínio insignificante de um ser pequeno como eu não consigo ter em mente a não existência de DEUS.
    O mal é consequência de nossas próprias escolhas, somos egoístas, mesquinhos e não podemos culpar alguém por nossas escolhas.

  4. Carlos Delamare says:

    Você, dorme, você acorda, abre os olhos e consegue distinguir as cores, as formas, o distanciamento, chuva na quantidade certa, sol a distância exata para ser possível a vida, estrelas, nuvens, céus, plantas que dão sombra e alimentos para todos. Rios, mares, oceanos, falar, ouvir, entender e se fazer ser entendido. Tanta perfeição sem alguém por trás? Sem um criador, bondoso, amoroso e único? Impossível! Deus é a perfeição em forma do mais puro amor que existe. Agora o homem com seu livre arbítrio, mata as árvores, tem ganância por dinheiro , poder e comida, o homem pensa em prostituição, guerra, fazer o mal ao próximo…. O homem pena por suas próprias e livres ações. Deus poderia impedir? Sim, claro! A qualquer hora, qualquer momento, não o faz pq? Não sei, ninguém sabe! Mas tem um propósito divino, sagrado e feliz ao término de TUDO. Pode crê e fazer por onde merecer esse digníssimo propósito.

  5. Rodrigo Louredo Rodrigues says:

    A idéia de Deus não é inata em nós, mas temos a capacidade para conhecê-lo com facilidade, e de certo modo espontaneamente por meio de Sua obra

  6. Marcos says:

    o argumento filosófico denominado “o ocultamento divino” é bastante forte. E o mas curioso é não podermos negar a existência de Deus ao estudarmos a primeira via filosofia estabelecida por santo Tomás de Aquino, que se infere apartir do movimento.Obviamente exarado em Aristóteles. O que devemos perguntar e investigar na verdade não é a existência de Deus. Isso é um fato. O que devemos tentar descubrir é o motivo que não ainda não temos acesso a ele.

    • JÚLIO PATRIOTA says:

      Seria razoável a objeção abaixo ao argumento do ocultamento divino:

      1)É possível que algum descrente não resistente se torne crente resistente mesmo com evidência absoluta e irrefutável da existência de Deus;

      2)É logicamente possível que todos os descrentes não resistentes se tornem crentes resistentes em qualquer mundo possível, mesmo com evidência absoluta e irrefutável da existência de Deus;

      3)Um Deus maximamente grande e onisciente saberia se todos os atuais descrentes, não resistentes, resistiriam a um relacionamento amoroso com Deus em qualquer mundo possível que a existência de Deus se torne irrefutável, ou seja, mesmo que acreditassem na existência de Deus;

      4)Um Deus maximamente grande teria valores morais;

      5)É possível que um Deus maximamente grande considere imoral não se dispor a uma relação amorosa com Deus;

      6)Uma menor evidência da existência de Deus traria menor responsabilidade em relação ao ato imoral ‘5’;

      7)Uma maior evidência da existência de Deus traria maior responsabilidade em relação ao ato imoral ‘5’;

      8)Se as premissas ‘2’, ‘3’ e ‘7’ forem verdadeiras, é melhor para os descrentes não resistentes que Deus dê menos evidências de sua existência;

      9)Se a premissa ‘8’ for verdadeira, o ato de maior amor e benevolência de Deus seria o ocultamento de mais evidências de sua existência aos descrentes não resistentes;

      10)Se todas as premissas acima forem verdadeiras, há evidências suficientes para que todas as pessoas, que não resistiriam a um relacionamento com Deus, em qualquer mundo possível, tenham um relacionamento com Deus neste mundo atualizado;

      11)Se todas as premissas acima forem verdadeiras, a conclusão do argumento do ocultamento divino é falha.

      Penso que a objeção acima é logicamente válida, já que, se as premissas ‘1’ a ‘10’ forem verdadeiras, segue-se a conclusão ‘11’.

      Tentou-se com a objeção acima não se utilizar de argumentos teológicos, tais como os motivos pelos quais tais descrentes não resistentes se tornariam resistentes, mesmo se tivessem mais evidências da existência de Deus.

      Por fim, o teísta não precisa demonstrar a probabilidade das premissas, mas tão somente sua possibilidade, o que tornaria a conclusão do argumento do ocultamento divino falha.

      Acredito que uma outra versão mais simples dessa objeção é possível, com menos premissas mas se chegando a mesma conclusão.

      Peço desculpas se cometi algum erro de lógica no argumento, já que sou leigo e talvez eu não tenha percebido que tal objeção não se sustenta ou que seja inválida.

  7. Alexandre Santos says:

    Por conta do próprio ser humano ,Deus criou a humanidade ,mas ele n interfere nela ,por conta do livre árbitro, se a própria humanidade se governa e Deus n a interfere a natureza humana é a culpada ,se o ser humano n fosse orgulhoso n existiria corrupção, desigualdade social etc ,assim ocorre tb devido as mortes, o mau é uma consequência do livre árbitro, o próprio ser humano escolheu isso ,mas pq Deus n repreendeu o mau ? ,pois ele é justo ,imagina se ele nos obrigasse a seguir somente o caminho dele ? ,através do livre árbitro, aqui na terra podemos escolher o nosso lado .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat