Forjada no fervor de Cristianismo, Bizâncio se tornou ao longo dos séculos não só a capital resplendorosa do Império Romano no Oriente, mas o grande farol de arte e cultura em toda a Antiguidade tardia e Idade Média. Suas igrejas eram monumentais, repletas de ícones, decoradas ricamente com afrescos e mosaicos dourados, fruto da fusão harmônica de milênios de arte grega, cultura romana e a recente fé cristã.

Os artistas bizantinos não só se preocupavam com a estética ou com o efeito decorativo de suas obras; inspirados pelo Cristianismo passaram a entendê-las como instrumentos de ascese, bem como, janelas que deveriam transportar os espectadores a uma dimensão mística cristã.

A Arte Bizantina, assim como ficou chamada posteriormente, é a síntese perfeita do imaginário e da opulência de Bizâncio, bem como, pode ser entendida como o receptáculo dourado que guarda a identidade de uma tradição cristã primitiva.

Por isso, a FASBAM compôs o Curso de Iconografia Bizantina. Este curso é dividido nos módulos têmpera e mosaico que oferecidos separadamente e que podem ser acessados abaixo.

mÓdulo têmpera

SAIBA MAIS

mÓdulo MOSAICO

SAIBA MAIS