A importância da acolhida nas secretarias paroquiais

Muitas vezes pensamos que a forma que recepcionamos nossos paroquianos e visitantes não precisa de aperfeiçoamento. O meio comercial, empresarial se inova a cada momento e insistimos que as nossas secretarias paroquiais e até mesmo de outras instituições ligadas à Igreja, como escolas, lares de crianças e idosos, faculdades, hospitais e etc. não precisam se desenvolver e até mesmo resgatar a vivência descrita nos Atos dos Apóstolos sobre as primeiras comunidades cristãs.

É neste ponto que erramos, pois a secretaria paroquial também se envolve com questões civis e burocráticas e precisa acompanhar o avanço das mudanças tecnológicas e sem dúvida, do atendimento que ali é oferecido. O diferencial da secretaria paroquial é que além de tudo isso, ela deve ser um ambiente de acolhida fraterna, apoio espiritual e também de soluções para os inúmeros problemas que os fiéis trazem consigo. É na secretaria paroquial que muitas vezes acontece o primeiro contato de um fiel com a comunidade local.

Muitas vezes o pároco deixa a administração da secretaria paroquial somente nas mãos de seus colaboradores devido aos seus afazeres diários. Porém, o padre precisa estar à frente e saber tudo o que está ocorrendo em sua paróquia. Mas como fazer isso? Basicamente, a resposta parece ser simples, ou seja, planejando seu tempo e instruindo seus colaboradores. Todavia, a prática pode não ser tão simples e coisas pequenas, que fazem total diferença no atendimento paroquial, podem passar despercebidas. O pároco é também um gestor e por isso precisa conhecer as técnicas de gestão e administração eclesial para otimizar o seu trabalho.

É por isso que sugiro aproveitar o período da pandemia para melhorarmos ainda mais a nossa acolhida nas secretarias paroquiais, começando com a leitura do livro: Expediente Paroquial, guia prático para formação de secretárias (os) paroquiais, do Pe. José Carlos Pereira, CP, publicado pela Paulus. Este livro possui muitas orientações práticas que nos auxiliam no dia a dia da secretaria paroquial, incentivando o bom atendimento – o nosso cartão de visitas. Além de questões simples, o livro também traz uma dinamicidade de exemplos que nos abre horizontes e acrescentam ideias inovadoras que podem começar com um simples “bom dia” fraternal.

Além disso, a internet está cheia de cursos de aperfeiçoamento. Incentivem às secretárias paroquiais a realizá-los. A Igreja só tem a ganhar com isso. Os párocos são os guias de suas paróquias e as melhores práticas da equipe paroquial são o reflexo de uma boa gestão!

Autor: João Paulo Vituriano, religioso basiliano e estudante do curso de pós-graduação em Administração e Gestão Eclesial da FASBAM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat