Que são as Igrejas Católicas Orientais?

Embora não seja amplamente conhecido em nosso mundo ocidental, a Igreja Católica é na verdade uma comunhão de igrejas. De acordo com a Constituição sobre a Igreja do Concílio Vaticano II, Lumen Gentium, a Igreja Católica é entendida como “um Corpo místico de Igrejas”, unido ao Sumo Pontífice, que serve como guardião da unidade (LG, n. 23). Atualmente, existem 24 igrejas que compõem a Igreja Católica. O Código de Direito Canônico usa a expressão “igreja ritual autônoma” para descrever essas várias igrejas (cânon 112). Cada igreja tem sua própria hierarquia, espiritualidade e perspectiva teológica.

Por causa das particularidades da história, há apenas uma Igreja Católica no Ocidente, enquanto existem 23 Igrejas Católicas no Oriente. A Igreja Ocidental, conhecida oficialmente como a Igreja Latina, é a maior das Igrejas Católicas. Está imediatamente sujeita ao Romano Pontífice. As Igrejas Católicas Orientais são lideradas por um Patriarca, Arcebispo Maior ou Metropolita, que governa a sua Igreja juntamente com um Sínodo de Bispos. Através da Congregação para as Igrejas Orientais, o Romano Pontífice trabalha para assegurar a saúde e o bem-estar das Igrejas Católicas Orientais.

Embora essa diversidade dentro da Igreja Católica possa parecer confusa a princípio, de modo algum compromete a unidade da Igreja. Em certo sentido, é um reflexo do mistério da Trindade. Assim como Deus é três pessoas, mas um só Deus, a Igreja é constituída de 24 igrejas, mas uma só Igreja. Catecismo da Igreja Católica resume isso bem:

“Desde a origem, no entanto, esta Igreja apresenta-se com uma grande diversidade, proveniente ao mesmo tempo da variedade dos dons de Deus e da multiplicidade das pessoas que os recebem. No seio da comunhão da Igreja existem legitimamente Igrejas particulares, que gozam das suas tradições próprias. A grande riqueza desta diversidade não se opõe à unidade da Igreja.” (CIC n. 814).

Embora existam 24 igrejas, existem apenas seis “ritos” que são usados ​​entre elas. Um Rito é um “patrimônio litúrgico, teológico, espiritual e disciplinar” (Código dos Cânones das Igrejas Orientais, cânon 28). “Rito” refere-se melhor às tradições litúrgicas e disciplinares usadas na celebração dos Sacramentos. Muitas Igrejas Orientais Católicas usam o mesmo Rito, embora sejam Igrejas autónomas distintas. Por exemplo, a Igreja Católica Ucraniana e a Igreja Católica Melquita são Igrejas distintas com suas próprias hierarquias. No entanto, ambas usam o Rito Bizantino.

Segue abaixo uma lista com as 23 Igrejas Católicas Orientais:

Tradição Litúrgica Alexandrina

  • Rito litúrgico copta:
    • Igreja Católica Copta (1741)
  • Rito litúrgico ge’ez:
    • Igreja Católica Eritreia (2015)
    • Igreja Católica Etíope (1846)

Tradição Litúrgica de Antioquia ou Siríaca Ocidental

    • Igreja Maronita (esteve sempre em comunhão com a Igreja Católica, união oficial reafirmada em 1182)
    • Igreja Católica Siro-Malancar (1930)
    • Igreja Católica Siríaca (1781)

Tradição Litúrgica Armênia

  • Igreja Católica Armênia (1742)

Tradição Litúrgica Bizantina

  • Igreja Greco-Católica Ucraniana (1596)
  • Igreja Católica Bizantina Bielorrussa (1596)
  • Igreja Católica Bizantina Albanesa (1628)
  • Igreja Católica Bizantina Eslovaca (1646)
  • Igreja Católica Bizantina Húngara (1646)
  • Igreja Católica Bizantina Rutena (1646)
  • Igreja Greco-Católica Croata (1646)
  • Igreja Greco-Católica Romena unida com Roma (1697)
  • Igreja Greco-Católica Melquita (1726)
  • Igreja Católica Bizantina Grega (1829)
  • Igreja Católica Búlgara (1861)
  • Igreja Católica Bizantina Russa (1905)
  • Igreja Greco-Católica Macedónica (1918)
  • Igreja Católica Ítalo-Albanesa (esteve sempre em comunhão com a Igreja Católica)

Tradição Litúrgica Caldeia ou Siríaca Oriental

  • Igreja Católica Caldeia (1692)
  • Igreja Católica Siro-Malabar (1599)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *