Curiosidades sobre o Artos – o Pão Fermentado das Igrejas Orientais

Durante toda a Semana Luminosa (após a Páscoa), o Artos, um “pão levedado”, é colocado no lugar mais proeminente da igreja, perto do ícone da ressurreição, e quando as celebrações pascais terminam, ele é distribuído entre os fiéis.
A utilização do Artos começou com o próprio cristianismo. No 40º dia após a ressurreição, o Senhor Jesus Cristo subiu aos céus. Os discípulos e seguidores de Cristo encontraram consolo na oração do Senhor, eles recordavam cada palavra, cada passo e cada ação. Quando se reuniam para uma oração comum, eles lembravam da Última Ceia e participavam da Sagrada Comunhão. Preparando uma refeição habitual, eles deixavam o primeiro lugar à mesa para o Senhor que estava sentado lá invisivelmente e colocavam um pão neste lugar.
Imitando os apóstolos, os primeiros padres da Igreja começaram a colocar o pão na igreja como uma expressão visível da idéia de que o Salvador, que sofreu por nós, tornou-se o verdadeiro pão da vida. Em um Artos podemos ver uma cruz com a coroa de espinho, mas não há o Crucificado, que é o símbolo da vitória de Cristo sobre a morte ou Sua ressurreição.
Há outra história antiga da Igreja relacionada com o Artos. Ela afirma que os apóstolos sempre deixavam um pedaço de pão – a parte da Mãe de Deus – como uma lembrança da constante comunhão com ela. Depois da refeição, eles compartilhavam aquele pedaço de pão entre si. Nos mosteiros, essa tradição é chamada de rito de Panagia, ou seja, a comemoração da Santíssima Mãe de Deus. Nas igrejas paroquiais, este pão da Mãe de Deus é recordado uma vez por ano, quando o Artos é partilhado.
O Artos é consagrado com uma oração especial, abençoado com água benta e incensado na Liturgia no primeiro dia da Santa Páscoa e depois da oração do ambão. Um Artos é colocado na frente das portas reais da iconóstase. Após a consagração, a analogia com o Artos é colocada no solea diante da imagem de Cristo, onde o Artos permanecerá durante toda a Semana Luminosa.
Todos os dias durante a Semana Luminosa, procissões com Artos acontecem após a liturgia. No sábado da Semana Luminosa, uma oração pela partilha dos Artos é lida. O Artos é dividido em pedaços e dado às pessoas durante o beijo da cruz após a Liturgia.
Os fiéis consideram as partículas do Artos que recebem na igreja como um remédio espiritual para as fraquezas e doenças. O Artos é tomado em casos especiais, por exemplo, em caso de doença e sempre com as palavras “Cristo ressuscitou!”.

One thought on “Curiosidades sobre o Artos – o Pão Fermentado das Igrejas Orientais

  1. Maycon Hensel says:

    Que bela surpresa. Descobri o blog e agora, além da vasta pesquisa que já faço sobre as Igrejas Orientais, tenho uma fonte muito próxima e didática.
    Obrigado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat