A presença da Igreja Siríaca de Antioquia no Brasil

autocompreensão, perspectivas e desafios

Autores

  • Celso Kallarrari

Palavras-chave:

Igreja Ortodoxa Siríaca, autocompreensão, perspectivas, desafios

Resumo

Buscaremos, na discussão da mesa redonda do I Simpósio Nacional de Teologia Oriental, apresentar aspectos da autocompreensão, perspectivas e desafios da Igreja Ortodoxa Siríaca no Brasil. Para tal propósito, situaremos a Igreja Ortodoxa Siríaca, desde os primórdios de sua chegada ao Brasil, final do século XIX, com as imigrações sírio-libanesas e, mais recentemente, na segunda década do século XX, mais propriamente, entre os anos 50 a 60, quando muitos tiveram de imigrar dos países orientais para a Europa e para as Américas por questões políticas e econômicas. No Brasil, desde a segunda metade do século XX, começaram as primeiras construções dos templos religiosos, desenvolvendo assim, sua teologia, língua e identidade, inseridas dentro da cultura ocidental brasileira, desde a segunda metade do século XX. Em seguida, apresentaremos, a partir dos anos 80, sua abertura à cultura brasileira, dentro da perspectiva de inculturação e evangelização missionária e, consequentemente, seus desafios em manter sua identidade frente ao mundo secular e a um Brasil cuja predominância religiosa é, exclusivamente, católica romana. 

Downloads

Publicado

2019-03-11

Edição

Seção

A Presença das Igrejas Orientais no Brasil