A CONTROVÉRSIA ICONOCLASTA E A DEFESA DAS IMAGENS SAGRADAS EM SÃO JOÃO DAMASCENO

Autores

  • Jairo Kuczynski

Palavras-chave:

Ícones Bizantinos, Padres da Igreja, Iconoclasmo, Iconografia, Império Bizantino

Resumo

O presente artigo tem por objetivo apresentar a defesa dos ícones elaborada por São João Damasceno. Sabe-se que ao longo dos séculos, a Igreja passou por vários períodos conturbados, um destes períodos foi denominado como crise iconoclasta ou apenas iconoclastia. No Antigo Testamento está presente uma lei dada por Deus, a qual proibia a confecção de qualquer imagem destinada a adoração, pois isso levaria à idolatria, uma prática contrária aos desejos de Deus. Esta proibição servirá como fundamentação teológica para muitos imperadores e bispos darem início às perseguições das imagens e/ou dos ícones. No entanto, alguns Padres da Igreja Oriental, como São João Damasceno, Teodoro Studita e outros, analisaram a exegese realizada pelos iconoclastas constatando que há uma interpretação equivocada e até descontextualizada das Sagradas Escrituras. Diante disso, este artigo versa sobre este assunto a partir de duas partes, sendo apresentado na primeira parte a proibição das imagens no Antigo Testamento e, num segundo momento, sobre o ícone, sua função e origem na tradição oriental. Já na segunda parte, será visto um panorama histórico da crise iconoclasta, passando para um segundo momento no qual se tratará mais especificamente a defesa das imagens sagradas elaborada por São João Damasceno, mas não deixando de citar outros personagens importantes que as defenderam também.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-12-29

Como Citar

KUCZYNSKI, Jairo. A CONTROVÉRSIA ICONOCLASTA E A DEFESA DAS IMAGENS SAGRADAS EM SÃO JOÃO DAMASCENO. Helleniká - Revista Cultural, Curitiba, FASBAM, v. 5, n. 5, p. 153–172, 2023. Disponível em: https://fasbam.edu.br/pesquisa/periodicos/index.php/hellenika/article/view/519. Acesso em: 28 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos