O PROBLEMA DO MAL NO SISTEMA LEIBNIZIANO DO MELHOR DOS MUNDOS POSSÍVEIS

Autores

  • Michel da Silva Muraro
  • Aluísio Miranda von Zuben

Palavras-chave:

Leibniz, Deus, Mônadas, Percepção, Mal

Resumo

Este artigo tem por objetivo, analisar a problemática do mal na filosofia de Leibniz, mais especificamente no seu sistema do melhor dos mundos possíveis. O mal é um dos grandes temas discutido na filosofia, mais propriamente na disciplina de Teodiceia, termo que fora forjado por Leibniz a partir das palavras gregas Theos (Deus) e Dike (Justiça) para significar a parte da Metafísica, e mais propriamente, da Teologia Natural, que explica como devemos compreender a bondade e a justiça de Deus. O Deus leibniziano, é um Ser dotado de perfeito saber, perfeito poder e perfeita bondade. Em sua máxima onisciência, analisa de modo simultâneo todos os mundos possíveis, isto é, todas as possibilidades de todos os seres que compõem o mundo, por sua máxima onibenevolência, escolhe o melhor entre todos os possíveis e, por sua máxima onipotência, dá a existência a melhor realidade possível, que se pauta pela maior variedade e compossibilidade de seres vivendo em uma harmonia preestabelecida por Deus. As Mônadas, que são os constituintes básicos da realidade, são entes substanciais que não possuem interferência externa, pelo contrário, tudo o que lhe ocorre, ocorre internamente por suas percepções ao seu ponto de vista da realidade. Deste modo, as mônadas não interagem uma com as outras, não possuem portas ou janelas das quais nada possa entrar ou sair. Contudo, na realidade física vemos que constantemente tudo está em interação, e essa interação é aparente, mas não ilusória, é um fenômeno bem fundamentado, um modo de expressão de uma mônada no espaço e no tempo, feita pela harmonia preestabelecida. Portanto, O mal surge da própria percepção das Mônadas por expressarem a realidade ao seu modo, agem pelo que lhes parece melhor e não pelo que de fato é melhor, isso ocorre, porque nem sempre nossas percepções são claras e distintas, mas confusas.

Downloads

Publicado

2021-04-25

Edição

Seção

Artigos