A INTELIGÊNCIA DA FÉ SEGUNDO ANSELMO DE CANTUÁRIA

Autores

  • Paulo Martines

DOI:

https://doi.org/10.35357/2596-092X.v4n8p103-125/2022

Palavras-chave:

Anselmo de Cantuária, Razão, Fé, Espiritualidade, Filosofia

Resumo

O objetivo deste artigo é mostrar a convergência de fé e razão no pensamento de Anselmo de Cantuária, explicitada em termos de uma inteligência da fé, como o esforço humano para entender, ainda que parcialmente, aquilo que a fé diz a respeito de Deus. Espiritualidade e filosofia não se separam no pensamento de Anselmo, de modo que a fé é aquela atitude que abre as portas de um saber teológico que se desenvolve no plano da razão. Como monge beneditino, Anselmo reconhece e vive plenamente o retorno para si mesmo entendido como introspecção: recolher-se para silenciosamente buscar a Deus. O tratado Proslogion (1078) apresenta-se como uma meditação sobre o ser de Deus, cujo itinerário reflexivo busca “razões” daquilo que inicialmente é acolhido pela “fé”. Tentarei mostrar que esse itinerário da inteligência da fé é fruto (I) da espiritualidade monástica do monge, (2) da qual o Proslogion é a sua principal manifestação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-06-05