AS CONCEPÇÕES DE LEI NATURAL E DE LEI SECULAR CONTIDAS NA REFLEXÃO FILOSÓFICO-TEOLÓGICA DE ORÍGENES

Autores

  • Sidnei Francisco do Nascimento

DOI:

https://doi.org/10.35357/2596-092X.v3n6p7-21/2021

Palavras-chave:

Lei Secular, Lei Natural, Alma, Livre-Arbítrio, Orígenes

Resumo

O método de interpretação alegórica de Orígenes se apropriará de uma passagem do Evangelho segundo São Mateus (22,21) que trata a respeito da célebre passagem de “dar a César o que é de César e a Deus o que é de Deus” e de um trecho da Epistola aos Romanos (13,1-14) que discorre a respeito da submissão da alma à autoridade civil. Tal exegese apresentará a complementaridade, embora com significados diferentes, entre as concepções de lei natural e de lei secular. A correspondência entre uma lei e outra, transitará entre o mundo sensível e o inteligível ou, dito de outra forma, entre o mundo terreno e o mundo espiritual, que terá o livre-arbítrio como um elemento indispensável, porque se traduzirá num dever de consciência, que incidirá na noção tricotômica de alma paulina movimentando-se entre os desejos da carne e os desejos do espírito.

Downloads

Publicado

2021-07-31